Eduardo Bolsonaro propõe impedir a transmissão da CNN Brasil

Publicidade

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) fez um comentário polêmico em seu Twitter, nesta terça-feira (17), e acabou dividindo as opiniões. Em uma postagem, Jair Bolsonaro (não partidário), filho do Presidente da República, criticou o jornalismo da CNN Brasil.

“O repórter da CNN Brasil disse que, de fato, há mais prioridades a serem tratadas do que o impeachment do ministro do STF”, começou a dizer o político, sem citar o nome nem compartilhar o vídeo do momento mencionado.

Eduardo Bolsonaro ainda completou, sugerindo tirar o canal de notícias do ar: “Tire a CNN do ar e o salário dele. Vejamos se ele segue com a mesma opinião”.

Publicidade

VEJA TAMBEM

Nos comentários, os seguidores dos legisladores federais se dividem. “Você está propondo censurar a CNN? Que tal organizar um dos mais de 100 impeachments do Bolsonaro?”, Perguntou um internauta.

Twitter Eduardo Bolsonaro
Twitter Eduardo Bolsonaro
Publicidade

“Bananinha, desemprego recorde, deputados em alta, seu pai alocou 41 bilhões de emendas, país endividado, inflação recorde, vacinação atrasada … Temos muitos problemas mais importantes”, afirma outro.

Um terceiro usuário do Twitter disparou: “E a liberdade de expressão??? Nobre deputado…”. “Que comparação completamente descabida”, detonou mais uma.

Nesta semana, Eduardo também usou a sua rede social para criticar uma declaração de Carla Vilhena na CNN Brasil. A âncora foi criticada por internautas, muitos, inclusive, bolsonaristas, por fala envolvendo máscara em meio à crise no Afeganistão.

“Maldade ou burrice mesmo?”, questionou o filho do presidente da República, que fez questão de compartilhar o vídeo do momento da jornalista. Em telejornal, a apresentadora criticou a falta do uso de máscaras de um entrevistado afegão durante reportagem no país.

Isso aconteceu após a exibição de uma reportagem em que a jornalista inglesa Clarissa Ward, correspondente da CNN no Afeganistão, conversava com cidadãos sobre o medo com a volta do Taleban ao poder.

#DBPOLITICA

Publicidade