Aguarde, carregando vaga

Saiba por que o novo presidente da Petrobras (PETR4) vai ter que esperar para assumir o cargo

Publicidade

[ad_1]

Publicidade

O novo escolhido do governo para comandar a Petrobras (PETR4) vai ter que esperar um pouco mais para assumir o posto. Isso porque o Conselho de Administração da estatal decidiu aguardar algumas etapas que precisam ser cumpridas antes de convocar a Assembleia Geral Extraordinária (AGE) que vai eleger novos membros. 

A decisão vale para Caio Paes de Andrade, atual secretário Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, e que foi indicado na segunda-feira (23) para substituir José Mauro Ferreira Coelho, que  ficou apenas 40 dias no cargo. 

Segundo a Petrobras, o nome de Paes de Andrade será submetido ao processo de governança interna para a análise dos requisitos legais e de gestão e integridade e posterior manifestação do Comitê de Pessoas.

O governo vem trocando o comando da Petrobras em meio a uma polêmica envolvendo a política de preços da estatal — considerada uma vilã para a alta dos combustíveis e, consequentemente, da inflação no Brasil.

Em um passado recente…

Publicidade

Em abril, o conflito de interesse e a dificuldade para que fossem aprovados impediram que o economista Adriano Pires e Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, assumissem os cargos de presidente da Petrobras e do conselho da estatal, respectivamente. 

Na época, um dossiê obtido inicialmente pelo jornal O Globo mostrou que tanto Landim como Pires tinham ligações com empresários e empresas do setor de gás.

A checagem do nome de dirigentes por empresas de fora da Petrobras é uma obrigação das regras da estatal, que tem ações da bolsa.

Petrobras (PETR4): AGE em duas etapas

A convocação da AGE ainda depende de duas etapas, de acordo com a Petrobras (PETR4).

A primeira delas envolve o governo, que precisa enviar as indicações dos demais sete membros para o Conselho de Administração. 

Além disso, é preciso ter a manifestação do Comitê de Pessoas da Petrobras acerca do enquadramento dos indicados aos requisitos e às vedações legais, regulamentares e estatutárias, para que seja incluída na proposta da administração para a realização da AGE.

 Concluídas essas etapas, o Conselho se reunirá novamente para deliberar sobre a convocação da AGE.

Na assembleia será votada a destituição de Coelho do cargo de membro do Conselho de Administração da Petrobras. Se aprovada, demandará a eleição de oito membros do colegiado e eleição de um novo presidente do conselho.

A Petrobras lembra que suas AGEs estão sujeitas ao prazo de 30 dias entre a convocação e a realização, pelo fato de ser emissora de ações que servem de lastro para American Depositary Receipts (ADRs).

[ad_2]

Publicidade