Aguarde, carregando vaga

Quem quer comprar a Torre Eiffel: a fraqueza do euro frente ao real e ao dólar explicada com a história de um falsário

Publicidade

[ad_1]

Publicidade

Se você fosse um comerciante de ferro velho na Paris de 1925, teria uma chance de ouro para ascender ao alto círculo da sociedade francesa: comprar — e desmontar — a Torre Eiffel.

Sabe como é: a manutenção do monumento é cara, os gastos com iluminação estão cada vez maiores… o governo queria mais era se livrar desse trambolho. E Victor Lustig, um respeitável homem de negócios, era responsável por encontrar os possíveis compradores.

Há apenas um detalhe nessa história: Lustig era um golpista — a Torre Eiffel, obviamente, nunca esteve à venda. Mas o homem era convincente, e logo encontrou um inocente disposto a arrematar algumas toneladas de metal retorcido.

Todo o caso está documentado — o falsário recebeu 70 mil francos como “propina” e logo fugiu da França; ele seria preso somente 10 anos depois, nos Estados Unidos, após uma vida dedicada aos trambiques mais variados.

Publicidade

Dito isso, vamos avançar um pouco no tempo. Se Lustig fosse um contemporâneo nosso e tentasse aplicar o mesmo golpe nos dias de hoje, provavelmente despertaria o interesse de algum estrangeiro desavisado.

Afinal, os francos são passado e, hoje, o cartão-postal parisiense seria precificado em euros. E a moeda comum do velho continente, antes tão forte, está longe dos dias de glória.

A repórter Flavia Alemi explica em detalhes a derrocada do euro em relação ao dólar, e como as duas divisas estão cada vez mais próximas da paridade pela primeira vez em 20 anos.

E mesmo em relação ao nosso real, a moeda europeia também não vive lá grande fase: a queda do euro é mais intensa que a do dólar — isso não quer dizer que uma viagem a Paris esteja baratinha, mas certamente está menos cara do que há alguns meses.

Pois bem, se você quer aproveitar o momento de fraqueza do euro — seja para investir, para viajar ou, quem sabe, para comprar a Torre Eiffel —, basta clicar aqui para ler a matéria na íntegra. É melhor estar bem informado para não cair em golpes por aí.

Este artigo foi publicado primeiramente no “Seu Dinheiro na sua manhã”. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

O que você precisa saber hoje

ESQUENTA DOS MERCADOS
Bolsas internacionais estendem ganhos nesta manhã, à espera da inflação nos EUA; Ibovespa acompanha cenário eleitoral. Por aqui, investidores monitoram sondagem da indústria em maio e a definição da bandeira tarifária de junho pela Aneel.

ELEIÇÕES 2022
Distância entre Lula e Bolsonaro aumenta para 21 pontos na nova pesquisa Datafolha. Com Moro e Doria fora da disputa, sondagem sugere vitória do petista no primeiro turno.

MONEY TIMES
Bolsonaro diz que ouvirá Economia e pode vetar compensação a Estados por limite no ICMS. O projeto foi aprovado na quarta-feira pela Câmara e ainda precisa passar pelo Senado, onde deve encontrar resistência.

PASSARINHO NA GAIOLA
E agora Elon Musk? Acionistas entram com ação contra o bilionário e o Twitter (TWTR34). A plataforma também está sendo alvo do processo, que envolve denúncias de uso de informação privilegiada no âmbito da oferta de compra da empresa.

PELA PRESERVAÇÃO DA ESPÉCIE
Unicórnios em crise? Vtex faz demissões de quase 200 funcionários. Outras startups como QuintoAndar, Loft e Facily anunciaram demissões em massa em abril; Vtex afirma que decisão faz parte de “novo ciclo”.

SEXTOU COM O RUY
Mesmo com toda a confusão causada pelo governo, ainda vale a pena investir na Petrobras (PETR4). Nosso colunista Ruy Hungria explica os motivos por trás da avaliação de que ainda vale a pena ter ações da estatal apesar da constante ameaça de intervenção.

MAIS QUE UM TIME
Conheça o plano do Golden State Warriors, finalista da NBA, para se tornar a franquia esportiva mais valiosa do planeta. Avaliado em US$ 4,7 bilhões, time de São Francisco pretende crescer por meio de fontes de receita inovadoras no mundo do esporte.

Uma ótima sexta-feira!



[ad_2]

Publicidade