O que é e como criar um NFT de graça: passo a passo

Publicidade


Embora o conceito de arte digital ainda esteja longe de ser uma unanimidade entre artistas, fotógrafos, produtores de vídeos e outros conteúdos, como animação gráfica, por exemplo, o mercado de tokens não fungíveis (NFT) se sagrou como uma realidade à parte no mercado de criptomoedas. 

Ainda que o setor não tenha escapado da baixa que atinge praticamente todo o mercado financeiro, a arte pode desafiar a lógica, porque a estética não está necessariamente atrelada ao humor dos investidores. Que o diga Nyla Hayes, uma garota de 13 anos que resolveu transformar em NFTs os desenhos de dinossauros e outras criações que brotavam de sua imaginação. O que acabou rendendo à menina a bagatela de US$  7 milhões em 10 meses. 

Publicidade

Mas o que são tokens não fungíveis? Quando algo é fungível, neste caso um token, significa que pode ser facilmente substituído por algo idêntico – e é facilmente intercambiável. No caso dos tokens não fungíveis, cada token tem informações ou atributos únicos, que os tornam insubstituíveis ou impossíveis de trocar por outro idêntico. Os tokens fungíveis são divisíveis – o que significa que você pode enviar uma fração de um token ERC-20. (Como em dinheiro, onde você pode pagar com uma nota de R$ 10 e obter o troco.) Por outro lado, os tokens ERC-721 não fungíveis não podem ser divididos e devem ser comprados ou vendidos inteiros.

Neste tutorial, escolhemos o marketplace OpenSea para explicar como criar e negociar seu próprio NFT.

Escolha do marketplace

Publicidade

O primeiro passo é definir o marketplace, ou seja, a plataforma em que o artista ou produtor de conteúdo deseja expor seus NFTs. O maior deles é o OpenSea, que será usado como exemplo para um passo a passo, desde a criação da carteira digital até a cunhagem do primeiro NFT. 

Por que criar uma carteira?

A resposta é basicamente a seguinte: o marketplace, no caso o OpenSea, não faz a custódia das criptomoedas de compra e venda de NFTs, porque a plataforma funciona como uma espécie de exposição, uma feira de negócios, que retém 2,5% com taxa, no caso das vendas. 

Criando seu perfil

Ao abrir a página inicial do OpenSea, no canto superior direito, a pessoa investidora (ou expositora) deve clicar em “profile” de forma semelhante à criação de um perfil de rede social, com a diferença de que a plataforma vai apresentar uma mensagem pedindo autorização para se conectar à carteira do usuário. 

OpenSea pedirá para se conectar à carteira do usuário. Imagem: OpenSea

Mas e se eu não tenho carteira?

Neste caso, este é o primeiro passo. Como exemplo, em função de considerada a mais utilizada em transações do OpenSea, a carteira MetaMask pode ser aberta em poucos minutos, bastando o usuário escolher onde quer instalar sua hot wallet (carteira quente). O exemplo a seguir utilizou uma carteira vinculada ao navegador Google Chrome, que foi a opção selecionada.

Os passos seguintes são semelhantes à criação de uma conta de e-mail ou de rede socil em relação à escolha de senha e aceitação de termos de uso,  mas é preciso atenção redobrada porque, além das senhas, o aplicativo fornecerá um conjunto de 12 palavras secretas em uma determinada sequência, que devem ser guardadas em local seguro porque serão exigidas em caso de recuperação da carteira.

Além da senha, usuários precisam guardar palavras secretas na ordem em que elas foram fornecidas. Imagem: OpenSea

Voltando ao OpenSea

Com a carteira digital aberta, deve-se entrar novamente na página inicial do OpenSea, cliquer em “profile” e, em seguida, em “MetaMask”, como no exemplo em questão. Neste momento, a carteira aparecerá no primeiro plano sendo necessário clicar em “seguinte” para autorizar a conexão entre o OpenSea e a carteira. 

Usuário precisa clicar em “seguinte” para fechar a conexão entre o marketplace e a carteira. Imagem: OpenSea

Editando o perfil no OpenSea

A conexão da carteira libera automaticamente o acesso à conta do OpenSea, que, neste momento, é bem semelhante a um perfil no Facebook ou do instagram, inclusive em relação à edição do perfil, com espaços para fotos, banner, locais para inserção de links de outras redes sociais, como o Twitter, por exemplo, além de campos de preenchimento de nome de usuário e outras informações pessoais. 

Hora de cunhar o primeiro NFT

O usuário precisa ter em mente que a cunhagem segue um procedimento também similar ao de uma publicação em uma página, com a diferença de que um produto digital, um criptoativo, com valor comercial, está sendo criado. Portanto o usuário precisa ter, além da posse da obra, seja ela uma foto, uma pintura, um vídeo, uma animação 3D, possuir informações contundentes e ser o dono legítimo da obra.

Em seguida basta clicar em “Create” no canto superior direito, fazer o “upload” do arquivo a ser enviado e em seguida preencher os campos “nome” (da obra), descrição, “nome da coleção” e outras informações extras (não obrigatórias), como por exemplo medidas nome de personagens e sexo. Um detalhe é que a plataforma só permite uma cunhagem por vez para que não haja custo de gás. Em seguida o usuário precisa escolher qual rede blockchain ele quer utilizar para cunhar o NFT, no nosso exemplo a rede escolhida foi a Ethereum. O procedimento se repete para a criação de outros NFTs, que podem ser adicionados a uma coleção pré-existente ou serem inseridos em uma nova coleção. 

Usuário precisa escolher o arquivo a ser cunhado. Imagem: OpenSea

NFTs precisam ser cunhados um por vez para não haver cobrança, usuário também precisa escolher a rede blockchain. Imagem: OpenSea

Cunhagem preguiçosa

A cunhagem do NFT deste exemplo aconteceu sem a cobrança inicial de taxa, tanto que a carteira não possuía saldo. Isso porque o OpenSea utiliza um recurso, que também é usado pela Rarible, chamado “cunhagem preguiçosa” (lazy minting) por meio do qual o NFT é criado, embora seus dados definitivos na blockchain sejam cunhados não no momento da criação do NFT e sim quando uma venda é confirmada. Dessa forma, a criação do token se mantém gratuita até alguém comprá-lo. No caso do OpenSea, a “cunhagem preguiçosa” pode ser feita pela escolha das redes Ethereum e Polygon na hora da criação do NFT e a taxa de 2,5% é paga pelo comprador do NFT. 

Divulgando as obras

Ao cunhar um NFT, o OpenSea fornece opção de compartilhamento do criptoativo em diversas redes sociais, muito embora cada coleção também possua um link específico que pode ser usado para divulgação. 

Os jogos também representam outro segmento que poderá ajudar a impulsionar o mercado de NFTs este ano segundo um levantamento da DappRadar, que revelou que estes tipos de jogos movimentaram US$ 4,9 milhões em 2021 e já movimentaram US$ 484 milhões este ano, conforme noticiou o Cointelegraph Brasil. 

LEIA MAIS:



Publicidade